Unitel substitui hoje Isabel dos Santos

A operadora de telefonia móvel Unitel realiza hoje uma assembleia-geral extraordinária de accionistas, para eleição de um novo administrador

Sede da Unitel, no Talatona

A Assembleia-geral convocada pelo presidente de mesa, Aguinaldo Jaime, através da publicação da convocatória via Jornal de Angola na sua edição de ontem, visa preencher o lugar vago deixado pela empresária Isabel dos Santos.

A 11 de Agosto último, a empresária decidiu deixar o Conselho de Administração da Unitel, estrutura de gestão da qual foi presidente durante vários anos.

 “Após 20 anos dedicados à criação, ao desenvolvimento e ao sucesso da Unitel, optei por deixar o cargo de membro do conselho de administração da empresa”, expressou na nota distribuída à imprensa.

 A empresária, que detém 25 por cento na estrutura societária da Unitel, através da Vidatel, diz ser contraproducente o conflito que se instalou no Conselho de Administração, fruto das relações entre accionistas, numa altura em que a economia angolana e o mercado das telecomunicações atravessam condições económicas particularmente adversas.

 Na nota de imprensa que enviou para as redacções, Isabel dos Santos enfatiza que o Conselho de Administração da empresa deve ser ocupado por pessoas dedicadas e com um espírito de equipa, comprometidas com o trabalho rigoroso e produtivo, no interesse da empresa e dos seus colaboradores e clientes.

“Como engenheira angolana, e como uma das fundadoras da empresa, tenho a honra e o orgulho de ter construído uma das primeiras redes de telecomunicações em Angola e de ter participado no desenvolvimento desta empresa, que muito contribuiu para a modernização e reconstrução do meu país, aproximando todos os angolanos de Cabinda ao Cunene e oferecendo-lhes uma janela no mundo”, expressou.

Referiu que nos anos em que liderou a operadora, a Unitel cresceu e realizou um investimento de mais de USD 5 mil milhões na rede, equipamento e formação profissional.

“No momento de uma nova página na história desta grande empresa angolana de tecnologia onde hoje 99.9% dos trabalhadores e técnicos são angolanos, gostaria de testemunhar aos meus mais de 3000 jovens colaboradores e colegas angolanos que constituem o coração da grande família Unitel, o meu orgulho em ser um deles e a minha gratidão pela confiança, empenho e génio criativo, sem os quais nada teria sido possível”, lê-se na nota.

 “Vou continuar a apoiar a Unitel com todas as minhas energias, a fim de contribuir para o sucesso da nossa visão e do nosso projecto de desenvolvimento de futuro”, promete a empresária.

A Unitel é a maior operadora de telecomunicações móveis, com mais de 10 milhões de assinantes e tem na sua estrutura accionista, além da Vidatel, a Geni (25 por cento) e a Sonangol, que detém 50 por cento de participação.

Em Dezembro de 2019, a empresária viu os seus activos arrestados, por força de uma providência cautelar intentada pela PGR no Tribunal Provincial de Luanda, no quadro do Programa de Combate à Corrupção e Repatriamento de Capitais e Perda Alargada de Bens.

leave a reply