Petrolífera francesa retoma perfuração em Angola

A petrolífera francesa Total anunciou, ontem Domingo, a retoma da perfuração offshore Angola com a plataforma Skyros.

De acordo com o anúncio publicado no site da Petro Angola, a petrolífera revelou os seus planos de curto e médio prazo para as operações em Angola, onde é responsável por cerca de 50% da produção do ouro negro, citado pela Angop.

O plano prevê, ainda, mais duas operações a iniciar na semana que se segue.

Em Maio deste ano, a petrolífera havia, no entanto, anunciado que haveria novas perfurações para a produção de crude devido aos efeitos da pandemia. Na nota publicada, a empresa reconheceu que a crise causada pela Covid-19 e a queda dramática nos preços do petróleo impactaram na economia mundial a qual não estava imune.

Em resposta, a Total elaborou um plano de acção a nível do grupo para reduzir os seus investimentos, nomeadamente a “opex” e o programa de “buyback”.

A empresa também está focada em projectos já sancionados, como Zinia Fase 2 e Clov Fase 2 no Bloco 17 ou Caril e Mostarda East no Bloco 32.

A Total garante ainda que está a acelerar as suas actividades offshore Angola e reiniciará a perfuração de poços, assim como realizará aquisições sísmicas e operações não rotineiras de produção e manutenção em ambos os blocos 17 e 32.

A plataforma Skyros já se encontra no Bloco 32 e a Maersk Voyager deve reiniciar a perfuração no final de Agosto, enquanto o reinício da West Ge¬mini é esperado nas próximas semanas, de acordo com o anúncio.

A companhia petrolífera francesa aparece assim em primeiro lugar a reiniciar as actividades offshore não essenciais em An¬gola. O relatório de estado das frotas da Maersk Drilling confirmam a retoma das operações da Total em Angola.

leave a reply