Covid-19 já matou 100 pessoas em Angola

As autoridades sanitárias confirmaram, nas últimas 24 horas, mais quatro óbitos por Covid-19, perfazendo um total de 100 mortes desde que registou os primeiros casos no país. Por outro lado, 51 novos casos foram registados e 59 doentes recuperados, segundo o secretário de estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda

O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou ontem, durante a actualização do balanço diário sobre a situação epidemiológica no país, em Luanda, a morte de mais quatro cidadãos angolanos, dos quais o primeiro na província de Benguela.

As vítimas são três cidadãos do sexo feminino, com 26, 45 e 65 anos de idade, e um ancião de 75 anos. O último é da província de Benguela e tinha já doenças como hipertensão e diabetes.

Mufinda esclareceu igualmente que dos 51 novos infectados, três são do município do Soyo, província do Zaire. Os restantes são de Luanda, respectivamente das Ingombotas, Belas, Viana, Talatona, Rangel e Maianga. Os casos estão associados a indivíduos com idades compreendidas entre um a 69 anos. Deste grupo, 39 são do sexo masculino e 12 do sexo feminino. 

“Apesar disso, conseguimos recuperar 59 pessoas, sendo que 51 estavam em isolamento domiciliar”, afirmou.

Com os novos dados, a tabela evolutiva do país passa aos 2.222 casos positivos, com 877 recuperados, 100 óbitos e 1.245 activos. Entre os activos, quatro estão em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 13 em estado grave, 34 em estado moderado, 38 com sintomas leves e 1.156 assintomáticos.

País com mais de 53 amostras processadas por RT-PCR

O governante explicou que em termos laboratoriais, em biologia molecular por RT-PCR, o país processou, nas últimas 24 horas, 471 amostras, dos quais 51 foram positivas. Existe um acumulado de 53.374 amostras processadas até à presente data, sendo 2.222 positivas e 51.152 negativas.

Por outro lado, Mufinda contou que no mesmo período 25 pessoas receberam altas, sendo oito da província de Luanda, 11 no Bié, cinco em Benguela e uma no Moxico.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, ainda nas últimas 24 horas, 92 chamadas. Duas são denúncias de violação de cerca sanitária e 90 foram pedidos de informação sobre a Covid-19.

Entre as actividades realizadas por províncias, o Bié, Benguela, Lunda Norte, Huambo, Huíla, Moxico e Lunda Sul reportaram actividades atinentes à investigação de casos, rastreio nos pontos fronteiriços, a formação de técnicos, informação e palestra de sensibilização no seio da comunidade, entre outras.

Testagem massiva aos efectivos da Polícia Nacional termina hoje

A testagem massiva levada a cabo pela Comissão Multissectorial para o Combate à Covid-19, que teve início no passado dia, 15 do corrente mês, por meio de testes rápidos serológicos e de biologia molecular, a um total de 10 mil agentes da Polícia Nacional, termina hoje, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda. 

Franco Mufinda aconselhou, uma vez mais, o uso obrigatório da máscara, a lavagem com frequência das mãos com água e sabão, a observância do distanciamento físico e a não violação da cerca sanitária. Voltou a sublinhar que a Covid-19 “é um assunto de responsabilidade individual e colectiva”. 

De recordar que o novo Coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia da Covid-19, surgiu na China em Dezembro de 2019. O surto espalhou-se pelo mundo e já vitimou centenas de milhares de pessoas, tendo levado a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia global. 

leave a reply