SIC detém dois efectivos da PIR por suspeita de guarida a chineses

O Serviço de investigação criminal (Sic) procedeu à detenção do intendente Augusto Kalia, segundo comandante da terceira unidade da Polícia de intervenção rápida, por suspeita de guarida a estrangeiros em troca de valores monetários. Além do oficial superior, foi igualmente detido um agente.

Dois cidadãos chineses foram detidos quando tentavam transportar, de forma ilegal, mais de 27.000.000.00 (vinte e sete milhões de Kwanzas) em moedas metálica.

Nesta Terça, 25, o SIC procedeu à apresentação de dois grupos de marginais, implicados nos crimes de branqueamento de capitais, associação criminosa, entre outros.

A detenção do primeiro grupo, o dos chineses, só foi possível graças a uma micro-operação desencadeada por agentes do SIC, por volta das 19h00 do dia 22 de Agosto do corrente, na localidade do Catengue, quando os mesmos pretendiam deslocar-se de Benguela às províncias da Huila e Cunene, onde detêm casas de jogo, e tentavam transportar o dinheiro a bordo de duas viaturas de marca Mitsubishi – Pajero.

A operação resultou, igualmente, na detenção de um cidadão angolano, solteiro, de 26 anos de idade, agente da Polícia Nacional, que estaria a dar cobertura aos chineses e, por conta da qual, estes teriam conseguido passar pelos postos da Polícia Nacional espalhados pelas estradas de Benguela. Entretanto, o agente não estaria a agir sozinho, daí que o SIC tenha decidido deter igualmente o intendente Augusto Kalia, segundo Comandante da terceira unidade da PIR, que estaria igualmente envolvido no esquema em troca de valores monetários.

As diligências feitas nas residências dos visados resultaram na apreensão de montantes avultados, no valor de 27.862.000.00. Destes, 13.024.000.00 em notas de algodão/papel e o restante em moedas metálicas. Os operativos do SIC encontraram ainda mais de 150 máquinas de jogos, 4 viaturas, destas 3 de marca Mitsubishi Pajero e 1 de marca KIA.

Numa outra operação, o SIC deteve um grupo de supostos marginais que instigava cidadãos a abrir contas bancárias, para onde depositavam quantidades somas em dinheiro, que variavam de Akz 200.000.00 a 500.000.00.

Segundo o porta-voz do SIC, Victorino Cotingo, com essas contas, os meliantes forçavam o sistema bancário a efectuar transações financeiras, mesmo sem estar ‘devidamente aprovisionada ou possuir saldo positivo’.

Maior parte destas acções, esclarece o responsável, eram executadas aos finais-de-semana, fundamentalmente no período da noite, momento em que se observava ‘uma quebra no sistema da EMIS-Empresa Gestora dos terminais de pagamento automático’, disse.

Com esta atitude criminosa, os cidadãos terão defraudado o Banco Económico num valor estimado em AKz 15.313.879.03. “Foram apreendidos aos meliantes 11 cartões multicaixas em nome de terceiros. Um aparelho TPA, AKz 136.000.00, bem como diversos documentos”, explicou o Co-

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

 

leave a reply