Mais de 10 países estariam a estudar experiência da Rússia no registo de vacinas contra coronavírus

Segundo o director-geral do Fundo Russo de Investimento Directo (RFPI, na sigla em russo), há um grupo de países querendo acelerar o registo de vacinas para combater a pandemia

Mais de 10 países parceiros do Fundo Russo de Investimento Directo estão estudando a experiência da Rússia para acelerar o registo da sua vacina anti-Covid-19, disse Kirill Dmitriev, director-geral da organização.

Segundo ele, os países estão interessados em “soluções comprovadas”, por exemplo, o uso de adenovírus humano, como fizeram os cientistas russos ao criar a vacina Sputnik V.

“O registo na China da vacina Sinovac contra a infecção pelo coronavírus através do procedimento acelerado para emergências mostra que muitos países estão a seguir o caminho da Rússia nesta matéria.

A China está a começar a proteger os seus médicos e professores segundo o modelo russo, fornecendo a vacina a grupos de alto risco”, informa. Características das vacinas.

A Rússia se tornou o primeiro país do mundo a registar uma vacina contra a Covid-19, baptizada de Sputnik V, em 11 de Agosto.

A vacina foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e actualmente está a passar pela terceira fase de testes.

A vacina russa Sputnik V usa dois tipos de adenovírus humanos com fragmentos de um gene do coronavírus na sua composição. Os adenovírus são um grupo de vírus que geralmente causam doenças respiratórias.

Eles funcionam como vec tores do RNA mensageiro do SARSCoV- 2, estimulando uma resposta imune no organismo dos indivíduos.

A China, por sua vez, aprovou o uso da vacina Sinovac em Julho para grupos de risco e profissionais da Saúde, relatou a Reuters, citando uma fonte anónima.

leave a reply