MINTTICS eleva para mais de 80 as salas de TICs

O país conta, a partir de ontem, com 81 pontos de TICs instalados em instituições de ensino e similares. O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) entregou, ontem, três salas de informática a instituições como a Paróquia do Cristo Rei, na Terra Nova, a escola Maria Mazzarello “nº 3066”, no Cazenga e o Orfanato Pequena Semente, em Cacuaco

O secretário de Estado para as Telecomunicações, Mário Oliveira, revelou que este projecto, de âmbito nacional, já beneficiou 81 pontos, sendo que Luanda se destaca com 46 salas de informática.

O governante garantiu que dentro de dois meses serão entregues mais algumas e que a capacidade de serviço de Internet das mesmas variam de dois a 20 megas bytes.

Com esta iniciativa, pretende-se capacitar os professores, pessoal administrativo e alunos a utilizarem, eficazmente, os programas computacionais nas suas actividades diárias, a fim de proporcionar uma melhor utilização dos recursos tecnológicos da escola.

A iniciativa faz parte de um projecto do MINTTICS que visa o aumento da literacia digital por parte da juventude, no sentido de aproximar essa franja da sociedade às TICs, criando ferramentas que permitem que estejam integrados no mundo tecnológico.

Para o efeito, se está a trabalhar com as instituições de ensino e de outra natureza, de forma que as tecnologias de informação e comunicação sejam ferramentas ao serviço da comunidade.

“A pandemia da Covid-19 veio trazer prova da importância das telecomunicações e tecnologia de informação na vida das sociedades, da população, empresas, organizações e juventude”, frisou.

Acrescentou de seguida que “pensamos que com a instalação destes pontos, é um contributo que o ministério dá no sentido de preparar as escolas, naquilo que o mundo de hoje exige, que são as tele- aulas, ensino à distância.

Nesta senda, o projecto vai contribui para atingir este objectivo.” Quanto aos valores monetários aplicados no projecto, Mário Oliveira afirmou que, para programa do género, o dinheiro é o que menos preocupa, sendo que o resultado final interessa mais.

“Tendo em conta que com ajuda de parceiros vão poder formar formadores, o valor é imensurável. Temos dito que a educação é cara. E não educação, alguém sabe o quanto custa?”

O fundador do orfanato Pequena Semente, Frank Cassule, frisou que a sua instituição está feliz, por ser uma das beneficiárias das salas das TICs e manifestou o desejo de que o projecto seja alargado para mais escolas e centros.

Explicou que tendo em conta que actualmente as sociedades estão viradas para o desenvolvimento das tecnologias de informação, a sala de informática não vai apenas beneficiar as crianças do centro, mas também a comunidade da área em que estão localizadas.

O orfanato tem já uma escola do ensino primário e pensam já em capacitar os alunos com noções básicas das TICs. No entanto, numa primeira fase serão formados os professores, as 380 crianças que estudam na instituição e, a posterior, a comunidade da zona. “Os alunos serão formados por fases, começando pelos mais adultos”, frisou.

leave a reply