Ex-líder da África do Sul, Jacob Zuma, acusado de corrupção, ataca sucessor

O ex-presidente da África do Sul, Jacob Zuma, a enfrentar julgamento por corrupção, atacou o sucessor Cyril Ramaphosa, na Sexta-feira, acusando-o de trair o Congresso Nacional Africano (ANC) com a sua postura contra a corrupção

Num ataque sem precedentes, Zuma, cuja década no poder foi marcada por vários escândalos de corrupção que ainda estão sob investigação, acusou Ramaphosa de levar o partido ao descrédito – um sinal de divisões crescentes dentro do ANC antes da conferência do comitá executivo nacional neste fim de semana. O próprio Zuma enfrenta várias investigações por corrupção, incluindo um julgamento relacionado a um negócio de armas de USD 2 biliões antes de assumir o cargo em 2009, mas ele mantém um apoio considerável de uma facção poderosa dentro do ANC. Ele nega todas as acusações.

Ramaphosa ordenou investigações sobre relatos de corrupção na resposta do Governo à Covid-19, incluindo o desvio de fundos destinados a equipamentos de protecção para médicos, bem como distribuição de alimentos. Muitos escândalos envolveram membros juniores do ANC a conspirar com empresas familiares para descaminho de fundos para a luta contra a Covid-19. Esta semana, Ramaphosa escreveu uma carta aos membros do ANC, dizendo que os seus “líderes são acusados de corrupção” e que o ANC “é o acusado número um”. Zuma, que até agora desistiu de fazer ataques públicos explícitos ao seu sucessor, disse em resposta: “Você é o primeiro presidente do ANC a se apresentar em público e acusar o ANC de criminalidade …. Esta é uma declaração devastadora … Eu vejo a sua carta como um desvio pelo qual você acusa todo o ANC a fim de salvar a sua própria pele.

” As divisões dentro do ANC podem tornar mais difícil para Ramaphosa – cuja presidência tem sido perseguida pela oposição de facções do partido desde que assumiu o cargo há 2 anos e meio – impulsionar as reformas económicas necessárias para reavivar a economia em dificuldades da África do Sul. Desde que assumiu o poder, depois de vencer a luta contra o governo de minoria branca, em 1994, o ANC tem sido uma ampla coligação de grupos, cujas divergências muitas vezes tornam impossível a aprovação de políticas.

leave a reply