Kwenda poderá beneficiar mais de 300 mil famílias até Dezembro

O projecto de fortalecimento da protecção social, Kwenda, tem a previsão de beneficiar, até Dezembro do corrente ano, 362.340 agregados familiares, em 20 municípios das províncias do país

Sob a coordenação da ministra de Estado para Área Social, Carolina Cerqueira, realizou-se a 2.ª Reunião da Comissão Intersectorial de Coordenação do Projecto de Fortalecimento da Protecção Social – “Kwenda”, durante a qual, além de ter sido avaliado o processo de execução da fase piloto do mesmo, foi aprovado o projecto de regulamento dos serviços de apoio à comissão intersectorial e o programa operacional de comunicação. Na reunião, foram aprovadas, igualmente, as linhas de orientação da estratégia de expansão gradual do Kwenda com vista a beneficiar, até Dezembro de 2020, 362.340 agregados familiares residentes em 20 municípios de 15 províncias do país.

A estratégia de expansão do Kwenda prevê a implementação de um conjunto de acções de inclusão produtiva e de geração de renda, municipalização da acção social e o reforço do cadastro social único. A implementação da fase piloto do Kwenda nos municípios da Cacula (Huíla), Cambundi- Catembo (Malange), Cuito- Cuanavale (Cuando-Cubango), Ombadja (Cunene) e Nzeto (Zaire) foi aprovada, tendo sido cadastradas 10.674 agregados familiares. Segundo informações disponibilizadas pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), das famílias cadastradas, 57,2 % são chefiadas por mulheres. Sobre o sistema de pagamento por via de cartão multicaixa, permitiu assistir e beneficiar durante o primeiro ciclo de pagamento, 5.774 agregados familiares.

A Comissão Intersectorial recomendou os serviços responsáveis pela operacionalização do projecto de fortalecimento da protecção social a aprimorarem os mecanismos para a sua execução, incluindo a conclusão do sistema de pagamento por via telefónica nas localidades onde não existe terminal de caixa automática “ATM”, com vista a garantir, de forma segura e imediata, o acesso às transferências monetárias às populações residentes nas regiões mais recônditas do país. “A Comissão Intersectorial congratula-se com o trabalho desenvolvido. Encorajamos os serviços responsáveis pela operacionalização, a continuarem com a mesma dinâmica para o cumprimento das metas estabelecidas no projecto Kwenda”, disse.

leave a reply