Carta do leitor: Covid e os taxistas

Saudações, caro coordenador! O primeiro dia de testes dos taxistas, conforme anúncio feito pela ministra Silvia Lutukuta, demonstrou a existência de mais de 40 casos suspeitos de Covid 19. Não deixa de ser uma notícia alarmante, porque eles são os que movimentam a capital do país, onde os autocarros não se fazem sentir.

Espera-se que este anúncio da ministra não iniba os demais colegas destes a realizarem os referidos testes. É preciso que se saiba da situação de saúde destes jovens, os heróis de muitos angolanos que todos os dias procuram alternativas para a sobrevivência dos seus familiares.

As estimativas apontam para a testagem de 5 mil taxistas. Um número gordo, o que também poderá representar nos próximos dias um aumento de casos entre estes profissionais. Mas, não sendo muitos deles cidadãos com comorbilidades, o ideal é que as duas associações existentes em Luanda, a ATL e a ANATA sensibilizem os seus parceiros no sentido de não se afastarem deste processo desencadeado pelas autoridades angolanas da Saúde.

A mesma força que os seus líderes exibem para exigir melhores condições de trabalho e até convocar greves deve ser colocada em evidência. Não sabemos se os cobradores, muitas vezes esquecidos, também estão a ter o mesmo tratamento.

Andando próximo dos motoristas, caso alguns deles estejam infectados, a esta hora o vírus deve ser a percorrer outras artérias para lá dos habituais azuis e brancos.

Nesta hora, só resta mesmo pedir a Deus que cuide destes jovens, assim como daqueles que diariamente fazem das suas viaturas o único meio de locomoção.

leave a reply