União Europeia beneficia Associação Globo Dikulu com mais de 19 mil Euros

Com o referido montante, a associação angolana pretende capacitar o centro com equipamentos de som e luz, tanto na arena como no anfiteatro, e ainda formar cerca de 20 jovens, na vertente artística

A Associação Globo- Dikulu vai beneficiar de 19 mil e 500 Euros, do projecto da União Europeia (EU), o “Procultura- PALOP TL”, nos (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e do Timor Leste), para desenvolver e capacitar o Centro de Animação Artística do Cazenga (Anim’art), com equipamentos de som e luz, e formar 20 jovens, na vertente artística.

O projecto financiado pela EU que começou a ser materializado no final do mês de Julho, através do plano apresentado pela associação angolana, denominado “Arte formal”, permitiu a recepção da primeira parcela do valor, que se encontra disponível na capital do país. A sua finalidade é de adquirir equipamentos, numa primeira fase, que ocorrerá no princípio deste mês, Setembro, para apetrechar o anfiteatro.

O membro de conselho da Globo Dikulu, Orlando Domingos, em conversa com este jornal, disse que os equipamentos serão adquiridos com o objectivo de possibilitar a realização de shows, tanto na arena do centro, como no anfiteatro, visando criar oportunidades de emprego aos jovens, membros da associação.

“Os equipamentos serão adquiridos cá. Em princípio, já temos, mas, estamos à espera que o fornecedor faça a entrega. Vamos reforçar o pouco equipamento de luz que temos, para assim poder estar em condições de permitir que se organizem shows com um outro nível e qualidade. Poderemos assim dizer que neste capítulo da música estaremos completos”, enalteceu.

O responsável explicou que a disponibilidade da verba consubstancia- se em três fases, sendo que a segunda servirá para o apetrecho da arena do centro, com equipamentos adequados, sendo que esta etapa poderá ocorrer no fim do mês em curso, após a entrega do relatório da primeira acção. Entretanto, a recepção da última parcela será efectivada em Outubro, sendo que em Novembro prevê-se a entrega do relatório final dos trabalhos.

Formação

A última parcela do valor servirá para ministrar a formação dos jovens, que irão manusear os vários equipamentos. O acto formativo, que será a última tarefa a ser desempenhada pela Globo Dikulu, vai acontecer no Anim’art, com um grupo de formadores, com o qual já têm trabalhado. A posteriori, os formandos vão ainda beneficiar de outras lições, também na vertente artística, através de uma empresa, a ser contratada pela associação angolana.

O membro de conselho avançou que a última fase é considerada a mais complexa e técnica do plano, em que vão experimentar os vários equipamentos adquiridos. “Nesta altura, teremos já todos os equipamentos no centro, e, a partir daí, esses jovens vão ser capacitados para utilizarem-no, a fim de poderem prestar serviços às entidades que necessitarem destes trabalhos, mas, com um outro nível e com maior qualidade”, disse.

Horizonte laboral

O antigo presidente da associação salientou que, com o processo formativo dos 20 jovens, pretende-se que sete trabalhem como técnicos de som, igual número como técnicos de luz e seis que irão como gestores e produtores culturais. Disse que a finalidade do projecto é de abrir um horizonte laboral, na vertente artística, a partir das actividades culturais que forem desenvolver, para conseguirem rendimentos para o seu sustento.

Avançou que, com os equipamentos a serem adquiridos, para reforçar os já existentes, como as guitarras, batuques, piano e outros que foram doados em Julho pela Embaixada Francesa em Angola, no âmbito de mais um aniversário da independência de França, permitirá que o centro receba grandes espectáculos musicais, com vários artistas do mercado nacional e internacional.

“Por isso, chamamos o plano de ‘Arte formal’. É formalizar a arte, de modo a empregar os jovens, de ter um sustento a partir das actividades que exercem. Nos últimos quatro anos, os jovens fizeram uma série de formações, mas sem que tivessem a possibilidade de trabalhar, facto que acaba por ser um investimento no vazio”, lembrou.

Realçou que a intenção era formar um maior número de jovens, mas que devido à presente situação, relacionada com a pandemia da Covid-19, o grupo de formandos será restrito. Posteriormente, será formado um outro grupo, para que se tenham mais jovens, com capacidade de ingressar no mercado de trabalho.

O responsável referiu que, em princípio, está tudo coordenado. “Estamos todos motivados, apesar de ser um pouco complicado para nós, essa situação da pandemia que resulta da Situação de Calamidade Pública. Mas, em todo o caso, estamos a criar condições para podermos fazer essa formação, que vai ocorrer com um número de pessoas reduzidas”, apontou.

A iniciativa

O Programa Diversidade “Procultura- PALOP TL” é um projecto financiado pela União Europeia, no âmbito do Programa Indicativo Multianual para 2014-2020, cofinanciado e gerido pelo Camões, IP e pela Fundação Calouste Gulbenkian. Destina-se a financiar projectos culturais dos PALOP e Timor Leste, sem fins lucrativos, com valores entre 2 mil e 20 mil Euros.

O processo de inscrição teve início no primeiro trimestre do ano em curso, permitiu a inscrição de cinco organizações/centros culturais em cada país, cuja avaliação baseiou-se na observância das etapas exigidas e a relevância do plano apresentado. Além da Globo Dikulu, o grupo carnavalesco União Recreativo do Kilamba também se beneficiará das acções.

Em Angola, o programa é gerido pela Alliance Française de Luanda, em parceria com os membros do Cluster EUNIC (Centro Cultural Português e Goethe Institut). Beneficiam desta acção associações/ centros de países como Moçambique, Cabo-Verde, São Tomé. A primeira interacção entre os responsáveis acontece, através de uma vídeo- conferência, que contou com a participação de membros da Aliança Francesa de Luanda e de Portugal, assim como coordenadores do projecto.

leave a reply