Carta do leitor: Massificação e atribuição do BI

Melhores cumprimentos!
Todos os dias recebemos nos nossos telemóveis mensagens emitidas pelo MINJUSDH para anunciar que está em curso o programa de massificação e atribuição do BI, garantindo assim identidade e cidadania para todos. Na TPA assistimos também todos os dias, publicidade relativa ao mesmo assunto. A intenção está ali, mas na realidade ainda não é um acto fácil e simples como se pode imaginar.Tomara que assim fosse!

Continuamos a assistir enchentes de pessoas junto aos serviços de identificação e lojas de registos todos dias em Luanda. Sou munícipe de Viana e estou nesta luta já lá vão quatro meses para para encontrar solução de emissão de assentos de nascimento dos meus menores para posterior emissão dos respectivos BI, uma vez terem 8 a 10 anos de idade.

Por paradoxal que seja, o terminal fornecido para a marcação que dá acesso a este serviço (telm 949 294 717), nunca está disponível.

Afinal como evitar enchentes nas instalações de registo se este mecanismo à distância não funciona? Seria bom
que o MINJUSDH começasse a pensar noutro serviço electrónico como, por exemplo, emitir o assento de nascimento mediante solicitação dos pais, tendo em conta os dados de registo da cédula, uma vez este serviço ser grátis.

Vemos este serviço na emissão dos cartões do INSS, que tem sido de fácil aplicação, porque desta forma ainda é porta aberta para a gasosa para os funcionários que prestam este serviço. Quem garante que a inoperância do terminal em causa tenha esta motivação? Lemos Ganga/Viana

leave a reply