Putin: alguns acham que saíram vitoriosos da Guerra Fria e que podem reescrever a história

em discurso no Dia do Conhecimento (1° de Setembro, dia de regresso às aulas), o presidente Putin ressaltou a importância da paz, dizendo que “não existe experiência mais trágica do que a guerra”

Esta declaração de Putin ocorreu durante a iniciativa on-line Aula Aberta para alunos dos últimos graus das escolas na Rússia. No evento, o presidente aproveitou para falar de diversos acontecimentos geopolíticos actuais. “Alguns acharam que, depois da Guerra Fria, saíram vitoriosos, se sentiram excepcionais, acham que é possível e necessário mudar a ordem que surgiu depois da Segunda Guerra […] e reescrever a história”, afirmou Putin.

O presidente russo lembrou os anos da Grande Guerra pela Pátria (1941-1945) quando a União Soviética foi atacada pela Alemanha de Hitler e seus aliados. “Se nós, como pensam alguns hoje, tivéssemos entregado as nossas cidades e povoados sem luta, supostamente poupando a vida dos nossos soldados, no fim das contas teríamos perdido essa guerra. Isso teria levado à destruição total de praticamente todos os povos da ex-União Soviética e da actual Federação da Rússia – é esse o preço e o valor da Vitória, alcançada pelos nossos antepassados”, afirmou.

“Todos nós honramos os nossos heróis, os admiramos, nos inclinamos ante a sua coragem e resistência. E quanto mais descobrimos, mais profundamente compreendemos: não existe provação maior e mais trágica do que a guerra. Ela tenta roubar o futuro, destrói sonhos e quebra destinos. Não poupa ninguém”, disse.

O presidente acentuou que todos os que tentam reescrever a história, os factos ocorridos durante a guerra, colaboram na actualidade com os inimigos do passado. “Aquelas pessoas que em tempo de guerra colaboram com o inimigo – elas, como é sabido, são sempre e em todos os lugares chamadas de colaboracionistas.

Mas aqueles que hoje concordam com os que reescrevem a história podem também perfeitamente ser chamados de colaboracionistas dos dias de hoje”, disse. No dia 1° de Setembro tradicionalmente as escolas russas abrem em todo o país para um novo ano lectivo. Este ano, em memória aos 75 anos da Guerra pela Pátria, as escolas relembraram a vitória do povo soviético durante o conflito global.

leave a reply