PGR em Benguela restitui à liberdade director interino da comunicação social

a Procuradoria-geral da república junto da Comarca do Lobito restituiu, na Terça-feira, 01, à liberdade o director interino do Gabinete da Comunicação social do Governo de Benguela, manuel Abel Tchingando, mediante o paga mento de uma caução no valor de 1 milhão de Kwanzas, soube o PAÍs de fontes judiciais

No dia 27 de Agosto, o Ministério Público tinha decidido privar da liberdade Manuel Abel, por suspeita de envolvimento na venda ilegal de casas na Centralidade do Luhongo, município da Catumbela. Segundo fontes judiciais consultadas pelo O PAÍS, no mandado judicial da PGR, tipificam crimes como o de burla por defraudação, tráfico de influência, associação criminosa, entre outras ilicitudes.

Todavia, na Terça-feira, 01, em mandado de soltura, o procurador Almerindo Bastos Chivutucua orientou o Serviço de Investigação que restituísse a liberdade a Abel, justificando que o mesmo podia ser localizado para qualquer esclarecimento.

Fontes no governo de Benguela acreditam que Abel teria sido vítima de uma cabala, supostamente orquestrada por pessoas que dominam o dossier de atribuição de casas nas centralidades. Sob anonimato, as nossas fontes sugerem que haverá, no Governo de Benguela, pessoas cujo propósito seja inviabilizar as acções de Rui Falcão.

Não se concebe, continuam, o facto de algumas práticas no governo colidirem tanto com a narrativa de transparência e lisura propagada pelo governador. “Quanto mais o governador fala em transparência, mais situações de justiça, ou seja, escândalo acontece”, disse um gestor público aO PAÍS. Na mesma data (27 de Agosto) da detenção de Abel, pelas mesmas ilicitudes, a Procuradoria-Geral da República constituiu arguido o Assessor do Governador Provincial, padre José Inácio. Este jornal soube, igualmente, que, na manhã de Quarta-feira, 02, a PGR manteve uma reunião, à porta fechada, com o governador Rui Falcão e em cima da mesa esteve o processo de aquisição de casas que corre trâmites naquele órgão judicial.

Tirando o facto de o governador ter estado em vídeo-conferência com Luanda, esse facto contribuiu para que Rui Falcão conferisse posse a novos administradores-adjuntos dos municípios de Benguela, Baía-Farta, Catumbela e Cubal apenas às 13 horas, quando a cerimónia estava, inicialmente, marcada para as 10 horas.

leave a reply