Secretário-geral da FNLA junta-se aos dissidente

o anúncio foi feito, ontem, em Luanda, durante uma conferência de imprensa, que serviu para esclarecer a rejeição da suspensão aplicada a si pelo presidente do partido, Lucas ngonda

Para a reunificação do partido, cujo processo começou há um ano, Pedro Mocombe Dala vai trabalhar com a ala de João Nascimento, Ngola Kabangu, Fernando Pedro Gomes e Tristão Ernesto. Na conferência de imprensa desta Quarta-feira, 2, estiveram alguns responsáveis que representam os grupos de dissidentes, designadamente João Nascimento, Fernando Pedro Gomes e outros integrantes da ala de Ngola Kabangu.

Pedro Dala, que minimizou, há uma semana, a suspensão a si aplicada, reassumiu ser o secretário-geral e promete trabalhar com todos os grupos desavindos com a direcção de Lucas Ngonda para se evitar que o partido seja extinto nas eleições gerais de 2022. Aos jornalistas, reconheceu a crise de liderança que o partido atravessa desde que Ngonda assumiu a direcção desta força política, a quem aponta como sendo o mentor da divisão interna.

Entretanto, para salvar o partido da situação em que se encontra, Pedro Mocombe, que apresentouse como sendo o coordenador da comissão de reconciliação interna, informou ter contactos avançados com todos os grupos que não se revêm na liderança do actual líder do partido. Este grupo será apresentado, brevemente, numa conferência de imprensa, onde serão avançados outros pormenores sobre o processo em concurso.

O responsável deixou claro que a comissão de reunificação vai trabalhar com todos os integrantes para rapidamente se encontrar uma possível solução que terminará com a realização do congresso, durante o qual será escolhido o novo presidente da FNLA. Pedro Mocombo Dala explicou que a comissão de reunificação não exclui o ainda actual presidente do partido, caso queira participar neste processo.

Informou que caso colabore para a reunificação, Lucas Ngonda poderá ter o seu lugar reservado como presidente honorário da FNLA, alertando-o que com ou sem ele a reunificação será encontrada. No encontro com os jornalistas, o secretário-geral denunciou que o líder do partido é o obstáculo para a reunificação e pretende perpetuar o poder, em contravenção aos estatutos. “Apelamos ao bom senso do irmão presidente, que reconsidere a sua posição e deixe de caminhar na direcção errada, juntando-se a nós no cumprimento dessa agenda até à realização do IV congresso por si convocado”, disse.

Congresso em 2021 Entretanto, neste encontro anunciou também que o secretariado do Bureau Político vai ajudar a dinamizar o processo de reunificação, tendo em conta a realização do congresso que se prevê para Agosto de 2021. À margem desta conferência de imprensa, Fernando Pedro Gomes saudou a iniciativa do secretário-geral de retomar o processo, realçando que o partido sairá a ganhar com a reunificação de todos os seus filhos.

leave a reply