II edição projecto literário “Matriz Africana do Design Gráfico” chega às bancas este mês

II edição projecto literário “Matriz Africana do Design Gráfico” chega às bancas este mês

Com assinaturas dos angolanos Délcio Caiaia e João Castanheira Vunge, do moçambicano Leovegildo José Mahumane disponibilizam a através da mesma plataforma electónica, Zoom, a 26 de Setembro a II edição do projecto literário de “Matriz Africana do Design Gráfico” Trata-se de um projecto literário, designado, “Matriz Africana do Design Gráfico, que surge de um olhar crítico ao posicionamento de África na arena global do Design Gráfico.

A supressão histórica fez desaparecer gradualmente muitos traços da arte visual africana. Por essa razão, urge despertar para a reordenação do tecido artístico de África, sua emancipação e expressividade visual real. Nesta II edição o E-book foca na desconstrução e/ou adaptação de ideogramas, símbolos e pictogramas africanos para a criação de layouts (estruturas de folha e organização de conteúdos).

Com recurso à diversas expressões visuais artísticas de povos/culturas/civilizações como: “Makonde (Moçambique- Dinembo). Conta ainda com “Swahili” (com realce à Moçambique- Kanga, mas também Tanzânia, Quênia, Uganda, bem como as ilhas adjacentes de Zanzibar e Comores e algumas partes da República Democrática do Congo e do Malawi); “Zulus” (com realce à África do Sul, Lesoto, Essuatíni, Zimbábue e Moçambique); “Tchokwe” (Angola- Sonas) e também em tecidos como: “Indigo (África Ocidental) e “Kuba” (Congo).

Em nota a que OPAÍS teve acesso, os autores descrevem que “é um compromisso que temos enquanto africanos, como fazedores de Design Gráfi co, a semelhança do que já tem sido feito por muitos artistas plásticos, artesãos, cantores e outros fazedores da arte. Isso resume- se em buscar, apreciar e encontrar- se como africanos na verdadeira história do continente que muito e quase tudo deu para o progresso de outras nações. Por fi m, resume-se em registar com recurso a todas maneiras possíveis”.

O projecto É o primeiro projecto literário angolano que fala especifi camente sobre design gráfi co africano e o segundo em África, de visão autóctone, depois do Afrikan Alphabets de Saki Mafundikwa publicado em 2004. Este livro tem como público-alvo os Designers Gráfi cos, mas, é também um material de consulta para amantes e fazedores da arte, estudantes de história e outros interessados.

A visão é atingir o mundo. Todas as edições serão traduzidas para o inglês e o Francês, sem descartar a possibilidade e necessidade de ser traduzido em línguas características de etnias africanas. O projecto literário confi gura-se em lançar sete edições em formato digital e uma última em suporte físico que será a compilação de todas as edições.