II edição projecto literário “Matriz Africana do Design Gráfico” chega às bancas este mês

depois de ter sido apresentada a I edição em Maio último, na plataforma Zoom devido a pandemia da Covid-19, a II edição deste projecto chega às bancas no decorrer do mês de Setembro

Com assinaturas dos angolanos Délcio Caiaia e João Castanheira Vunge, do moçambicano Leovegildo José Mahumane disponibilizam a através da mesma plataforma electónica, Zoom, a 26 de Setembro a II edição do projecto literário de “Matriz Africana do Design Gráfico” Trata-se de um projecto literário, designado, “Matriz Africana do Design Gráfico, que surge de um olhar crítico ao posicionamento de África na arena global do Design Gráfico.

A supressão histórica fez desaparecer gradualmente muitos traços da arte visual africana. Por essa razão, urge despertar para a reordenação do tecido artístico de África, sua emancipação e expressividade visual real. Nesta II edição o E-book foca na desconstrução e/ou adaptação de ideogramas, símbolos e pictogramas africanos para a criação de layouts (estruturas de folha e organização de conteúdos).

Com recurso à diversas expressões visuais artísticas de povos/culturas/civilizações como: “Makonde (Moçambique- Dinembo). Conta ainda com “Swahili” (com realce à Moçambique- Kanga, mas também Tanzânia, Quênia, Uganda, bem como as ilhas adjacentes de Zanzibar e Comores e algumas partes da República Democrática do Congo e do Malawi); “Zulus” (com realce à África do Sul, Lesoto, Essuatíni, Zimbábue e Moçambique); “Tchokwe” (Angola- Sonas) e também em tecidos como: “Indigo (África Ocidental) e “Kuba” (Congo).

Em nota a que OPAÍS teve acesso, os autores descrevem que “é um compromisso que temos enquanto africanos, como fazedores de Design Gráfi co, a semelhança do que já tem sido feito por muitos artistas plásticos, artesãos, cantores e outros fazedores da arte. Isso resume- se em buscar, apreciar e encontrar- se como africanos na verdadeira história do continente que muito e quase tudo deu para o progresso de outras nações. Por fi m, resume-se em registar com recurso a todas maneiras possíveis”.

O projecto É o primeiro projecto literário angolano que fala especifi camente sobre design gráfi co africano e o segundo em África, de visão autóctone, depois do Afrikan Alphabets de Saki Mafundikwa publicado em 2004. Este livro tem como público-alvo os Designers Gráfi cos, mas, é também um material de consulta para amantes e fazedores da arte, estudantes de história e outros interessados.

A visão é atingir o mundo. Todas as edições serão traduzidas para o inglês e o Francês, sem descartar a possibilidade e necessidade de ser traduzido em línguas características de etnias africanas. O projecto literário confi gura-se em lançar sete edições em formato digital e uma última em suporte físico que será a compilação de todas as edições.

leave a reply