Caso Navalny: ‘Não temos a certeza de que Berlim não esteja a fazer jogo duplo’, diz MRE russo

Moscovo não tem ainda certeza de que a Alemanha não esteja a fazer jogo duplo, disse a representante da chancelaria da Rússia comentando as declarações da diplomacia alemã acerca do caso Navalny. Maria Zakharova, representante oficial do MRE da Rússia, disse que era do interesse de Berlim responder prontamente ao pedido da Procuradoria Geral da Rússia que foi enviado às autoridades alemãs em 27 de Agosto.

“Onde está essa ‘urgência’ em que vocês tanto insistem? É a parte alemã que tem muita falta dela, julgando pelas declarações do Departamento de Justiça de Berlim, que está ainda a ‘examinar o pedido’ e que diz que ‘a decisão de aprovação será tomada se for necessário em coordenação com as autoridades competentes’. Não respondendo, Berlim está a atrasar o processo de investigação. Será que é de propósito?”, questiona Zakharova. Além disso, Zakharova afirmou que Moscovo está pronta para cooperar com Berlim relativamente à situação de Navalny. “Estamos prontos para cooperar 24 horas por dia com a parte alemã.

Quero recordar que, quando o embaixador russo esteve no Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, ele perguntou se havia dados concretos que a parte russa pudesse obter para investigar, mas nada lhe foi dado. É tudo o que temos até agora”, comentou ela ao canal de TV Rossiya 24. Ontem, em entrevista ao jornal alemão Bild am Sonntag, o ministro alemão das Relações Exteriores, Heiko Maas, disse que a Rússia nos próximos dias deve tomar medidas relativamente ao alegado envenenamento do opositor russo Aleksei Navalny, pois, caso contrário, a Alemanha vai discutir uma resposta adequada com os seus parceiros. “Ultimatos não ajudam ninguém a avançar.

Mas, se não houver explicações da Rússia nos próximos dias, teremos de discutir uma resposta com os nossos parceiros”, afirmou o chanceler alemão. Ao ser questionado se ele acreditava que o governo da Rússia poderia estar por trás do suposto envenenamento de Navalny, Heiko Maas disse que “houve muitos indícios disso”, acrescentando que, por esta razão, “a Rússia está actualmente a enfrentar esta contestação”. “Temos grandes esperanças de que o governo russo resolva este grave crime. Se [o governo russo] não tem nada a ver com o ataque é do seu próprio interesse prová- lo com factos”, acrescentou. No dia 22 de Agosto, Navalny foi transportado para a Alemanha, onde médicos locais afirmaram que ele havia sido envenenado com a substância Novichok.

leave a reply