Governador do Moxico anuncia construção de novas infraestruturas no Alto Zambeze

Trata-se de pontes, centro médico e escolas, a serem construídos no quadro do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), cujas obras devem arrancar brevemente

Serão construídos, no total, cerca de 20 pontes em todo o município, sendo que a comuna da Caianda beneficiará de uma escola T7, e um centro médico com a capacidade estimada para 20 camas.

A informação foi prestada, ontem, a OPAÍS, pelo porta-voz do Governo Provincial do Moxico, André Pinto, no final da visita de avaliação da situação socio-económica do Alto Zambeze, efectuada pelo governador Gonçalves Muandumba.

Durante cinco dias, Gonçalves Muandumba trabalhou nas comunas de Macondo, Calunda, Caianda, Kavungo e na sede de Cazombo, sede do município do Alto Zambeze. Em Cazombo, Muandumba constatou o estado das estradas, pontes e avaliou a situação socio-económica do município, e reuniu com os conselhos de auscultação em cada comuna, onde ouviu as prementes necessidades que afligem as populações.

As maiores dificuldades constatadas pelo governador, segundo André Pinto, consistem na falta de infraestruturas de telecomunicações, o mau estado das estradas, a escassez de quadros no sector da saúde e da educação.

Ainda no quadro desta visita, o governador do Moxico inaugurou duas escolas de 14 salas de aula na comuna de Calunda e Macondo, visitou o posto fronteiriço do Luhuza, distribuiu máscaras faciais e cestas básicas às populações das comunas. Na mesma senda, o governador manteve audiência com a sua Majestade a Rainha Nhakatolo, com quem falou da situação socio-económica do município.

Radiografar o Luau

Ontem e hoje, Gonçalves Muandumba vai trabalhar no município do Luau, onde visitará o posto fronteiriço, obras do PIIM e o Instituto Agrário, além de reunir com empreiteiros, fiscais, juventude e com o Conselho de Auscultação do Município.

Importa realçar que os dois municípios fronteiros, Luau e Alto Zambeze, separados por 260 quilómetros, o primeiro com a República Democrática do Congo(RDC), e o segundo com a República da Zâmbia, debatem-se com graves problemas de vias de comunicação.

Este constrangimento tem dificultado a circulação de pessoas e mercadorias entre as duas circunscrições, devido à acentuada degradação das estradas que as liga, segundo constatou a reportagem deste jornal em Fevereiro do ano em curso.

A guerra que assolou o país, durante 27 anos, é apontada como sendo o principal factor estrangulador, que além de estradas, destruiu outras infraestruturas sociais. Para colmatar a situação, os dois municípios contam com o PIIM para implementar os projectos concebidos e aprovados pelo Governo central.

leave a reply