Comandante Cerqueira e testemunha da morte de Sílvio Dala em contradição

as declarações do comandante provincial de Luanda não convergem com as da testemunha que esteve na Esquadra dos Catotes sobre quem terá ligado ao familiar da vítima para pagar a multa. a Polícia diz que ao reter o médico cumpriu apenas com o estipulado na lei e alerta que não vai tolerar incitamentos à desobediência civil

Eduardo Fernando Cerqueira disse que em momento algum os efectivos terão exercido pressão, colocando numa cela ou molestado o médico Sílvio Dala no dia 1 de Setembro, quando foi conduzido à unidade para o pagamento da multa.

Em conferência de imprensa realizada, ontem, na sede do Comando Provincial, Fernando Cerqueira disse que os agentes retiveram Sílvio Dala em cumprimento do seu dever em obediência do Decreto sobre a Situação de Calamidade Pública, mas que em momento algum terá sido molestado.

O comissário-chefe disse que as imagens que circulam nas redes sociais em que o malogrado aparece com a cabeça e a camisola banhadas em sangue não foram retiradas da esquadra, mas sim da morgue. Questionado por OPAÍS sobre as razões que levaram os efectivos em levar o malogrado para o Hospital do Prenda enquanto existem outras unidades mais próximas, Fernando Cerqueira respondeu que foi a opção de …

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para [email protected] e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply