Governo anuncia medidas de regresso às aulas

O Presidente da República, João Lourenço, assegurou para hoje o anúncio das medidas consensuais a adoptar para o regresso às aulas no país, suspensas desde Março último, em consequência da progressão da Covid-19.

João Lourenço revelou o facto na abertura da reunião extraordinária do Conselho da República, que está a avaliar, entre outros assuntos, o impacto da Covid-19 no país, nos planos epidemiológico e económico. “Após ouvir os sindicatos, representantes dos pais e encarregados de educação, o Executivo está em condições de anunciar, ainda hoje, as medidas consensuais a adoptar com vista a garantir o regresso paulatino às aulas”, sublinhou. Segundo o Chefe de Estado angolano, as medidas levarão em consideração as recomendações sobre biossegurança.

Ao avaliar o ano de 2020, afirmou que tem sido bastante desafiante, pondo à prova as capacidades materiais e humanas existentes, em termos de saúde pública, e das economias continuarem a produzir os bens essenciais de consumo para as populações.

Salientou que Angola tem se esforçado bastante, no sentido de evitar que a situação epidemiológica atinja níveis incontroláveis e assustadores, bem como “não deixar morrer as coisas, empresas e a economia”.

Avançou que Angola tem os seus indicadores de produção abaixo do expectável e baixas de desemprego acima do previsto, para o ano em curso, consequência da crise económica, que afecta todo o mundo, sem excepção. Entretanto, João Lourenço considera que o país está a apostar, cada vez mais, na produção interna de bens de consumo de primeira necessidade, com o sector agrícola a responder positivamente às necessidades do mercado, através do aumento diversificado de produtos por fazendeiros e camponeses.

Assegurou que o país pode produzir muito mais, caso os beneficiários dos 900 tractores e alfaias agrícolas, distribuídos às 18 províncias do país pelo Estado, tirem o melhor rendimento possível do referido equipamento.

Orientou ainda as autoridades locais a tirarem melhor rendimento das máquinas pesadas, postas ao serviço das províncias, na recuperação das vias secundárias, como forma de estimular a produção agrícola e contribuir para a redução da fome e da pobreza.

Sinais no sector da indústria Relativamente à indústria, o Presidente da República destacou os sinais de alinhamento, que vem dando, por causa da produção interna de bens de consumo. Reconheceu que a aposta no sector privado da economia é a mais acertada, pelo que o seu Executivo vai continuar a dialogar e a atender as expectativas, para que as empresas possam crescer, aumentar a produção e os postos de trabalho.

O Presidente João Lourenço admitiu alargar, a expatriados que trabalham em outros sectores chave da economia do país, autorizações de viagem a exemplo do que já acontece no ramo dos petróleos.

leave a reply