Ordem dos Médicos reclama não ser tida em conta na gestão da Covid-19

A bastonária, Elisa Gaspar, disse em exclusivo a OPAÍS que desde o início de funções da Comissão Multisectorial de Combate e Prevenção a Pandemia da Covid-19, a mesma “nunca solicitou ou convidou a Ordem para alguma contribuição técnica e científica”

A responsável da agremiação sócio-profissional dos médicos angolanos teceu estas considerações na tarde de 7 de Setembro, à margem do pronunciamento da instituição sobre as circunstâncias da morte do médico Sílvio Dala, ao que se diz ocorrida em sede de uma esquadra policial, no passado dia 1 de Setembro.

“A Ordem indicou um colega (presidente do colégio de medicina legal) para estar presente na autópsia. Assistiu e fez um relatório que, ainda não chegou porque tem trâmites legais. A Ordem é uma instituição e os colegas que fizeram a autópsia também são outra. Então estamos a aguardar que mandem o laudo para podermos realmente ver o que é que se passou”, garantiu, Elisa Gaspar.

Depois de tomar contacto com o laudo, a Ordem dos Médicos de Angola (ORMED) assegura que estará em melhores condições para emitir “um parecer, porque não podemos fazer juízos sem realmente estarmos documentados”, afirmou.

 

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para [email protected] e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply