Aliança de empresários de Benguela pode ficar com fábrica de concentrado no Dombe

Segundo apurou este jornal de fonte governamental, um empresário ligado à Aliança Empresarial de Benguela, reúne condições financeiras e técnicas para comprar a fábrica de concentrado de tomate na comuna do Dombe-Grande, município da Baía-Farta, construída há mais de seis anos na vigência governativa de isaac Francisco Maria dos Anjos

A unidade fabril, que custou aos cofres do Estado cerca de 78 milhões de dólares, foi desenhada a pensar no excedente de tomate que se estraga nos campos do Dombe-Grande, um dos maiores produtores desta hortícola. Nesta comuna, OPAÍS soube que a titularidade da unidade fabril já passou da esfera do Ministério da Agricultura para o das Finanças para consequente privatização.

Uma fonte no Ministério da Agricultura e Pescas revelou, sob anonimato, que o Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE) estaria já a trabalhar no processo de privatização da fábrica, tendo em conta a pretensão manifestada pela Aliança Empresarial de Benguela de que Adérito Areias é presidente.

Apesar das dezenas de milhões de dólares investidos na fábrica, a unidade fabril, construída há seis anos numa zona potencialmente agrícola, nunca chegou a funcionar devido a vários condicionalismos, de entre os quais o energético. Se, por um lado, os…

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para [email protected] e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply