Carta do leitor: O comportamento dos agentes…

À direcção do jornal O PÁIS, agradeço a oportunidade pela publicação desta carta. Escrevo para exprimir o meu descontentamento em relação ao uso da máscara facial, no âmbito do combate e prevenção à COVID-19.

Com alguns amigos, na última semana de Agosto, fomos autuados por agentes da ordem, por eles interpretarem que a máscara estava mal posta, não foi o caso, os agentes andam mesmo a abusar os cidadãos.

Como eram 17:30, ainda reagimos, à luz da nossa razão, mesmo assim levaram-nos à Esquadra da Samba, em Luanda.

Posto na esquadra, os agentes deram-nos muito baile e ,no alto da arrogância, disseram em côro: “vocês vão passar mal”, gozam na rua, aqui dentro não”.

Ainda assim, dissemos, queremos pagar a multa, já que alegam que usamos mal a máscara facial.

Continuaram os bailes. Depois se decidiram e levaram-nos até à Sexta Esquadra, nas cercanias da Cidadela Desportiva.

Posto lá, os agentes informaram coisas que não fizemos e, mesmo assim, não nos deram ouvidos. Calmamente, perguntamos: como é possível só acreditarem nas palavras do agente? Ele é assim tão perfeito na sua abordagem na rua? Lá o chefe em serviço, uma vez mais em defesa do seu colega, alegou dizendo que aqui vocês não podem falar muito. É triste. Quando se tentou explicar que o mau uso da máscara facial não é crime, mas, sim, transgressão que dá direito à multa, o chefe ficou calado e orientou outras coisas. Ele não atendeu ao nosso argumento de que os agentes nos queriam levar como se fôssemos animais.

Só valeu o argumento deles. Percebemos que eles, os agentes, se protegem e que fabricam argumentos para incriminar cidadãos indefesos e inocentes. Aos poucos, o cidadão começa a perder a confiança na Polícia Nacional, aliás as falhas têm sido uma constante. Portanto, o slogan da Polícia Nacional segundo o qual “Pela ordem e pela paz ao serviço da Nação” estará, quiçá, em contramão.

POR: João Lombo Cambaio, Luanda

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!