Falcão atira-se contra Governo Central e reclama falta de dinheiro para o lixo

O governador Provincial de Benguela, Rui Falcão, considera inconcebível que cidades como Benguela e Lobito, para citar apenas estas, fiquem meses sem recursos financeiros para a recolha de resíduos sólidos e reclama de excessiva centralização no Governo

Dirigindo-se ao Ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Marcy Lopes, que cumpre uma jornada de trabalho de dois dias na cidade de Benguela, Rui Falcão Pinto de Andrade afirmou que a falta de autonomia financeira está a criar enormes constrangimentos.

O desabafo do governador surge numa altura em que vários segmentos sociais, políticos e até culturais, em Benguela, o acusam de alegada inacção da província desde que este assumiu as rédeas. Segundo argumenta, só ele que está no “terreno” tem noção do esforço a que se tem sujeitado para garantir que as cidades apresentem um nível de salubridade aceitável, daí que apele, sem citar nomes, à sensibilidade da parte de quem toma decisões a nível no Governo Central no sentido de se inverter o quadro.

Realça que, sem alteração de paradigma, províncias como Benguela continuarão a enfrentar muitos problemas de gestão. “É preciso que quem toma decisão venha ter connosco e vá connosco ao interior ver as dificuldades que temos”, sugere o governador de Benguela, manifestando, porém, alguma dose de desespero em relação à falta…

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para [email protected] e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply