Ex-diplomata britânico está sob investigação por suspeitas de espionagem para a China, avança media

Os serviços secretos belgas estão a investigar supostas ligações do ex-diplomata com jornalistas chineses que trabalhariam para o Ministério da Segurança da China.

O ex-diplomata Fraser Cameron, actual director do Centro UE-Ásia em Bruxelas, está sob investigação por alegada espionagem a favor da China.

Cameron é suspeito pelos serviços secretos belga e britânico MI5 de receber pagamentos de “milhares de euros” para passar à China dados políticos e económicos secretos sobre as instituições europeias. Um funcionário da Comissão Europeia afirmou que Cameron estava “muito próximo de Pequim”.

Cameron, que trabalhou por 14 anos na Comissão Europeia, rejeitou todas as alegações, dizendo que são “absurdas” e “sem fundamento”, acrescentando que “elas são realmente absurdas se você parar para pensar nelas por um minuto”.

Além disso, o ex-diplomata afirmou que manteve uma variedade de contactos com chineses no âmbito das suas funções no Centro UE-Ásia e que “alguns deles podem exercer duplas funções”.

“Eu aposentei-me 15 anos atrás do emprego oficial e não tenho acesso a qualquer informação sensível”, acrescentou. Cameron ressaltou que o único financiamento que recebe da China é “uma pequena subvenção anual” da missão diplomática chinesa junto da UE para cobrir [as despesas] na organização de eventos sobre as relações entre a UE e a China, escreve o jornal Politico.

leave a reply

O Pais

Deve ver notícias