Vandalizados 40% dos sistemas de água no Bié

O facto foi avançado esta terça-feira (29), pelo vice-governador do Bié para sector Técnico e Infra-Estruturas, José Fernando Tchatuvela, quando falava dos investimentos do Governo nos sectores socioeconómicos nos últimos três anos.

Citado pela Angola, aquele responsável disse que os materiais destruídos faziam parte dos mais de mil pequenos sistemas de captação e distribuição de água potável (manivelas, sistemas suportados com painéis solares e outros) construídos nos últimos três anos em zonas suburbanas da província do Bié e que foram    vandalizados por indivíduos desconhecidos. .

Bié tem um milhão, 455 mil e 255 habitantes, sendo que a acção de marginais deixou apenas 50 por cento da sua população com água potável, dos mais de 60 até finais do ano passado, reafirmou o responsável.

Para inverter o quadro, mormente nas sedes comunais e embalas, as respectivas administrações municipais trabalham na aquisição de novos acessórios para a reposição, tais como bombas manuais, buchas, placas electrónicas e outros.

As autoridades apelam à denúncia dos infractores e constante vigilância da população. A fonte lembrou que, de 2018 até presente data, a província ganhou seis grandes sistemas de água.

Da Nharea possui uma capacidade de 210 metros cúbicos/hora e beneficia 29 mil e 601 habitantes, enquanto o do Cunhinga, com capacidade de 150 metros cúbicos/hora, atende 19 mil e 239 habitantes. A do Cuemba, com capacidade de 180 metros cúbicos/hora, deve beneficiar 26 mil e 117 habitantes.

Enquanto isso, no município do Cuito mais de 16 mil famílias beneficiam do fornecimento de água potável através dos sistemas de captação, tratamento e distribuição a partir dos rios Cussola e Cuquema.

Sem avançar o valor do investimento, José Tchatuvela ressaltou que, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), este ano prevê-se o arranque da construção de novos sistemas de água nos municípios do Chitembo, Catabola, Andulo e Chinguar (Bié).

A vandalização afectou também o sistema de iluminação pública, num troço de cinco quilómetros na parte sul da cidade do Cuito, entre a Comarca do Bié até a Rotunda do “Nosso Super”, na sequência do roubo das baterias que alimentavam os respectivos sistemas solares, o que deixou parcialmente a área às escuras.

Ainda no domínio energético, a Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), no Bié, controla mais de 18 mil consumidores, que se beneficiam dos mais de 40 Megawatts, vindos da barragem de Laúca (médio Cuanza), província de Malanje. Nos últimos três anos foram instalados 38 novos Postos de Transformação (PT), 250 postes de iluminação pública, numa extensão de mais de 20 quilómetros, na sede municipal do Cuito e na comuna do Cunje.

Neste momento, estão concluídos os trabalhos de montagem de uma outra subestação para o município do Cuito, que vai produzir 20 megawatts (MW) para assegurar o fornecimento da corrente eléctrica a cidade e arredores, em caso de eventuais falhas na rede nacional.

Apelou aos consumidores a não furtarem-se do pagamento do consumo de energia e da água, para permitir o crescimento do sector e a concretização de novos projectos na região.

leave a reply