De regresso do hospital, Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca

De regresso do hospital, Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca

O presidente dos EUA, Donald Trump, já regressou à Casa Branca depois de abandonar o Centro Médico Walter Reed. Trump, que testou positivo à Covid-19, esteve hospitalizado desde sexta-feira por precaução. De regresso do hospital, Trump tira a máscara ao chegar à Casa Branca

Trump abandonou o Centro Médico Walter Reed por volta das 23:40h de Angola (18:40h em Washington), dirigindo-se para o helicóptero que o levou à Casa Branca.

Levantando várias vezes o punho cerrado e o polegar em sinal de força, o chefe de Estado ignorou as perguntas dos jornalistas que o questionaram sobre o número de pessoas atualmente infetadas na Casa Branca e sobre se se considerava um supertransmissor de covid-19.

O Marine One aterrou na Casa Branca pouco antes das 19 horas de segunda-feira (24 horas de Luanda). À chegada Donald Trump indicou que se sentia “muito bem” por estar de regresso à Casa Branca, tendo depois, subido para a varanda do Pórtico Sul, onde tirou a máscara, que enfiou no bolso, e levantou ambos os polegares em sinal de que estava bem.

Os médicos de Trump disseram que ele continuaria a sua recuperação da Casa Branca, onde será atendido 24 horas por dia, 7 dias por semana, por uma equipa de médicos e enfermeiros.

Ainda que, segundo o seu médico permaneça com infeção ativa, Trump afirmou, momentos antes de sair do hospital, que não será impedido de fazer campanha durante muito tempo, escrevendo numa publicação na rede social Twitter: “Voltarei em breve à campanha”.

A saída do Centro Médico Walter Reed já tinha sido sugerida ontem pela equipa médica que tem acompanhado Trump, tendo hoje a mesma confirmado que Trump poderia regressar a casa.

Antes tinha-se já antecipado à conferência de imprensa da equipa médica e anunciado a sua saída do hospital ainda hoje. “Sinto-me muito bem! Não tenham medo da Covid-19. Não deixem que ele domine as vossas vidas. … Sinto-me melhor do que há 20 anos”, escreveu.

Na conferência de imprensa, o médico da Casa Branca, Sean Conley, disse que o atual estado clínico e as avaliações feitas ao Presidente norte-americano permitiam que tivesse alta hospitalar e regressasse a casa. “Embora (o Presidente) possa ainda não estar totalmente fora de perigo, a equipa e eu concordamos que todas as suas avaliações, e o mais importante, o seu estado clínico permitem o seu regresso a casa, onde estará rodeado de cuidados médicos de classe mundial 24 horas por dia, sete dias por semana”, declarou.

“Estamos todos cautelosamente otimistas e vigilantes, porque nos encontramos num território desconhecido quando se trata de um paciente que recebeu as terapias tão cedo durante o curso da doença”, acrescentou. Trump foi medicado com dexametasona, medicamento geralmente associado a casos graves de covid-19, e fez dois tratamentos experimentais (o da empresa de biotecnologia Regeneron e o antiviral Remdesivir). Além disso, Conley afirmou no domingo que ele recebeu oxigénio extra na última sexta-feira, algo que inicialmente não havia sido divulgado.

(Sapo)