Nova lancha reduz violação na Baía do Lobito

O conselho de Administração do Porto do Lobito anunciou que com o investimento que se fez para a recuperação da lancha, que esteve avariada há mais de seis anos, está a permitir que os índices de violação da orla marítima local conheçam uma considerada baixa, contribuindo assim para a segurança da actividade portuária

A entrada em funcionamento da lancha de fiscalização do Porto do Lobito, em Benguela, que andou avariada há mais de seis anos, está a influenciar positivamente no registo de baixos níveis de violação da Baía local, garantiu, ontem, o presidente do Conselho de Administração do Porto do Lobito, Celso Rosas. Segundo o gestor público, a lancha, que voltou a funcionar no final do mês passado, depois de passar por uma concertação técnica, está a permitir que os índices de violação da orla marítima local conheçam uma considerada baixa.
Conforme explicou, durante o tempo que a lancha esteve paralisada foram registadas inúmeras violações porque o sistema de fiscalização esteve vulnerável. Porém, com o investimento que se fez para a recuperação deste importante instrumento fiscalizador, assiste-se a uma queda considerável das arbitrariedades. Celso Rosas fez saber que a Baía estava vulnerável aos pescadores furtivos e o grande receio era a possibilidade de alguma rede lançada por estes enrolar-se na hélice de algum navio estrangeiro de grande porte.
Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para [email protected] e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply