Zap Viva celebra mês da “Dipanda” com documentário sobre a génese da música popular angolana

Com a exibição das películas que narram, entre outros assuntos, a génese da música popular, pretende-se celebrar a cultura angolana por ocasião de mais um aniversário da Independência Nacional, a assinalar a 11 de Novembro

O canal Zap Viva celebra o mês da Independência Nacional, em Novembro, com a exibição dos documentários “O lendário tio Liceu e o Ngola Ritmos”, “Angola- Histórias da Música Popular” e “Kuduro-Fogo no Musseke”, do realizador português Jorge António, às Quartas-feiras, a partir das 21 horas. A primeira película que será mostrada no dia 4 desse mês foi produzida entre 2007 e 2010, com o intuito de narrar o começo da música popular angolana, marcado pelos pioneiros da entoação na Língua Nacional quimbundo.

Contextualizandose nos finais dos anos de 1950 e do surgimento da banda, de como foram para a prisão e ‘desapareceram’. As grandes teses deste filme que já foi exibido em vários festivais como em Portugal, Brasil, Moçambique e na Alemanha são os vídeos e áudios inéditos que foram encontrados em casas de amigos (particulares) do “Exímio”, bem como algumas cartas de mandado de prisão da antiga Polícia Internacional de Defesa do Estado (PIDE).

O documentário “Angola-Histórias da Música Popular” concebido em 2005 será apresentado no dia 11. O mesmo faz uma viagem ao universo da música popular angolana, através da voz dos artistas mais ‘importantes’ de todas as gerações, desde o lendário Liceu Vieira Dias e o Ngola Ritmos nos finais dos anos 40 até ao referido ano, tendo como pano de fundo a história política e social de Angola.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!