Captura de pescado no Tombwa reduz pela metade

O município piscatório do Tombwa continua a registrar decréscimo na captura do pescado. No primeiro semestre de 2020, foram registadas 4 mil toneladas de peixe e até ao final do ano espera-se capturar igual número, perfazendo um total de 8 mil toneladas.

Patrícia de Oliveira

O administrador do município do Tombwa, Alexandre Niyúka, salientou que o sector pesqueiro está a registra um período crítico, pelo facto de anualmente se constatar a redução de captura de pescado. O dirigente lembrou que, em 2018, o nível de captura situou-se em 48 mil toneladas de pescado e no ano transacto registaram -se 16 mil toneladas.

“Estamos a falar de um terço da produção anterior”, disse. Questionado sobre as causas da redução da captura de peixe, referiu que os especialistas apontam inúmeros factores como as mudanças climáticas, a redução da biomassa, tendo em conta a pesca de arrasto desregrada de espécies em crescimento, em alto mar e na costa. “É necessário encontrar soluções para alavancar o sector pesqueiro.

Por esse motivo, foi suspensa a importação de novas embarcações, de modo a reduzir a pesca desordenada”, explicou. Disse ainda que há uma nova política na atribuição de licenças e é preciso redefinir a capacidade interna. Estes factores podem permitir que a biomassa continue a crescer e contribua para o consumo das populações.

Alexandre Niyúka contou que o município do Tombwa se depara com a pesca ilegal, e a pesca de arrasto que, nos últimos anos prejudicou a biomassa na região e as espécies em crescimento, provocando uma interrupção na cadeia de sustentabilidade das espécies, ressaltando que no alto mar foram encontradas muitas embarcações embarcações. “Estamos preocupado com o sector pesqueiro, principalmente com a pesca ilegal, e o permanente decréscimo nos índices de produção no município”, disse.

O responsável disse que foram apreendidas duas embarcações estrangeiras, mas agenciadas por empresas nacionais. Também são efectuadas operações regulares de capturas das várias redes. Por outro lado, teve inicio um processo de responsabilização da captura do peixe em fase de crescimento.

“Foi realizada uma campanha de sensibilização, de modo a verem as desvantagens da pesca ilegal “, frisou. Actualmente, o município do Tombwa conta com 12 empresas do sector pesqueiro e duas salinas em funcionamento. Contudo, não têm produzido de acordo com a capacidade instalada. O responsável lembrou que, no ano em curso, o maior grupo empresarial uma parceria entre angolanos e sul-africanos dispensou mais mil trabalhadores.-

 

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!