Promotores culturais anseiam do novo ministro políticas “fora do papel”

Embora seja um homem ligado à cultura, em particular à música e à literatura, a sua nomeação para titular da pasta da Cultura, Turismo e Ambiente foi alvo de controvérsias, sobretudo nas redes sociais, quer por promotores culturais, quer por cidadãos anónimos. A nossa equipa de reportagem conversou com alguns, que se mostram divididos quanto aos novos desafios de Jomo Fortunato, alertanto que este precisa de sair da teoria à prática

O Presidente João Lourenço, nomeou, na última Segunda-feira, 26, Jomo Francisco Isabel de Carvalho Fortunato, para o cargo de Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, em substituição de Adjany da Silva Freitas Costa. Entretanto, a indicação do conhecido crítico literário e musical tem provocado várias controvérsias no sector da cultura, sobretudo por promotores e outros agentes, que se mostram divididos quanto à prestação exitosa do novo ministro, porquanto o seu pelouro está acoplado a outros sectores. O músico Diogo Sebastião “Kintino”, na sua manifestação em reacção a este facto, salientou que, até ao momento, não viu nos demais ‘Governos’ que o país teve, políticas culturais correctamente estáveis e inclusivas nas mais variadas vertentes para gáudio dos seus fazedores e amantes.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!