Carta do leitor // O príncipe que virou sapo

Na vida as pessoas perdem muito tempo esperando “algo” perfeito. Homens buscam a mulher bela e sem defeitos, com dinheiro e poucas neuroses, que falem pouco e cobrem menos. As mulheres sonham encontrar o homem bonito, inteligente, rico e que ajude nos afazeres do lar. Nunca conseguirão encontrar, nem um, e nem o outro.

Tem uma amiga de tempos de escola que achou um homem “perfeito” para casar, bem situado financeiramente, bonito de corpo e rosto e com uma faculdade. Casaram-se dois anos depois. Enlace matrimonial bonito e com pompas. Passaram-se cinco anos. Dois filhos.

Ele assumira os negócios familiares quando o pai faleceu. Sem experiência do negócio, a falência foi inevitável. Dívidas acumuladas e bebidas mais do que trabalho. Ele, formado em publicidade nunca atuou no sector. As preocupações e genética familiar fizeram o cabelo cair. Anos de bebidas e comidas gordurosas fizeram criar um volume no abdômen.

O stress e depressão fizeram com que deixasse de se vestir bem, se arrumar e a barba por fazer o transformaram em um ser abominável fisicamente. Olhos vermelho e empapuçados pela falta de sono e pelo álcool. A educação deu lugar à grosseria e estupidez. Os amigos antes contumazes em sua casa, sumiram.

A felicidade dos primeiros anos foi-se embora e a tristeza nos olhos da amiga era evidente e notado. Brigas constantes e dissabores com o príncipe que se transforma em sapo mostraram à amiga que, o perfeito não existe. O belo pode ser uma máscara e a perfeição, uma ilusão. Não espere demais. Não busque demais. Viva o hoje.

Gregório José
Radialista, Jornalista e Filósofo

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!