Presidente do MPLA responsabiliza UNITA por eventuais aumentos de casos da covid-19

O Presidente do MPLA, João Lourenço, afirmou, ontem, em Luanda, que a UNITA deve assumir todas as consequências dos seus actos de “irresponsabilidade”, que podem contribuir para o aumento acentuado de novos casos de contaminação por Covid-19

João Lourenço fez este pronunciamento na abertura da IV sessão ordinária do Comité Central do partido que dirige, em reação ao envolvimento directo da UNITA e seus deputados à Assembleia Nacional, devidamente identifi cados, na manifestação do dia 24 de Outubro, que culminou com a detenção de 104 cidadãos, pela Polícia Nacional.

Durante a repressão policial contra a manifestação convocada pela Sociedade Civil, mas não autorizada pelas autoridades, por força do Decreto Presidencial, que proíbe ajuntamento de mais de cinco pessoas, para se evitar a propagação do contágio da Covid-19, houve tumultos que resultaram em duas mortes entre os manifestantes.

“É reprovável e deve merecer o mais veemente repúdio da sociedade angolana, que não pode permitir que partidos políticos com assento parlamentar incitem os jovens e a população à desobediência civil”, afirmou o líder do MPLA.

Segundo João Lourenço, este comportamento da UNITA pode comprometer e deitar por terra todo o esforço que a nação vem fazendo, desde Março do corrente ano, no combate à pandemia.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!