Pesquisador afirma que governação pós-colonial, em Benguela, era livre de corrupção

Pesquisador afirma que governação pós-colonial, em Benguela, era livre de corrupção

O chefe de secção dos Correios, Telégrafos e Telefones de Angola, na época colonial, Joaquim Grilo, refere, em entrevista exclusiva a O PAÍS, que a gestão do governo de Benguela, após a Independência Nacional, era bastante comprometida com a causa pública e não havia corrupção. Para ele, a possibilidade de açambarcamento de bens públicos, à época, por parte de gestores, era praticamente nula.

Constantino Eduardo, em Benguela

Hoje, pesquisador socio-cultural, Joaquim Grilo, diz ter acompanhado o discurso de António Agostinho, no dia 11 de Novembro de 1975, via rádio, na antiga rua Popular, actualmente conhecida como IMS, zona E, do município de Benguela.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.