Carta do Leitor: Lutar até o fim

Saudações, senhor director! dan iel migue l/ar quivo O nulo no reduto do Congo Democrático mostrou a força e a determinação de uma Selecção Nacional que está em fase de construção. Agora é imperioso começar a trabalhar de modo a se ultrapassar questões administrativas que colocaram de fora o avançado Jonas Ramalho, atleta que actua em Espanha, no jogo de ontem, Sábado.

De recordar que um dia antes do desafio o combinado angolano ficou “preso” no aeroporto daquele país, porque alguns jogadores tinham problema nos respectivos passaportes, porque o trabalho de casa não tem sido bem feito.

Enfim! É para esquecer. Como amante do rei futebol, aconselho a direcção reeleita da Federação Angolana de Futebol (FAF), encabeçada por Artur Almeida e Silva, a preparar de forma ordeira o jogo de Terça-feira diante do mesmo opositor de ontem, a contar para quarta jornada do grupo D de apuramento ao CAN 2022, a realizar-se nos Camarões. Aliás, se a Selecção vencer pode fugir da última posição, onde se encontra com três pontos, e estará a uma passo de carimbar o passe ao Africano. Por isso, vamos trabalhar.

Agostinho António
Viana, Luanda