Bispo apela à honestidade de gestores públicos para devolver bens ilícitos

Bispo apela à honestidade de gestores públicos para devolver bens ilícitos
O bispo da Diocese de Benguela, Dom António Jaca, afirma que a corrupção, o enriquecimento ilícito, entre outros, são males que concorrem para a existência de um número elevado de pessoas em pobreza extrema no país, por isso apela à honestidade dos gestores na devolução de bens públicos surripiados para mitigar a fome.
Falando numa homilia, por ocasião da celebração do Dia Mundial do Pobre, assinalado pela Igreja Católica em cada terceiro Domingo do tempo comum, o também secretário-geral da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) elenca uma série de males que, no seu entender, motivam a existência de muitos pobres em Angola.
O prelado aponta, entre outras práticas, as quais qualifica de nocivas, o desvio de fundos públicos para fins pessoais, acumulação de capitais, visando o enriquecimento ilícito, fustigando, contudo, o erário, que serviria para garantir bens essenciais aos pobres.
Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.