Mais de 2 mil empregos assegurados no grupo Boavida apesar da pandemia

Mais de 2 mil empregos assegurados no grupo Boavida apesar da pandemia

Manter os postos de trabalho está a ser difícil para muitas empresas, nesta fase de Covid-19, com as limitações no funcionamento das organizações, na relação com os fornecedores, bem como com a baixa procura dos bens e serviços por parte dos clientes.

O sector da construção civil teve um período de proibição de funcionamento, durante o Estado de Emergência, por causa da pandemia, e muitas são as empresas que com esta proibição acabaram por demitir os trabalhadores ou suspender os contratos. Um total de 2300 trabalhadores do grupo Boavida esteve nesta situação e foi reenquadrado.

Segundo Tomasz Dowbor, em entrevista ao jornal OPAÍS, este processo de reenquadramento não surge apenas para garantir o cumprimento dos compromissos comerciais, como a entrega de casas na Urbanização Boavida, por exemplo, mas também pelo bem-estar das famílias que dependem do normal funcionamento do grupo.

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.