Petróleo fecha em alta com vacina e indicação de cortes da opep+

Petróleo fecha em alta com vacina e indicação de cortes da opep+

Os contratos futuros de petróleo encerraram na Quarta-feira, 18, em alta por conta da indicação do ministro de Energia da Arábia Saudita, Abdulaziz bin Salman Al Saud, de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) deve estender os cortes de produção para além de Janeiro de 2021. Também impulsionaram os negócios novas informações sobre a eficácia da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelas empresas Pfizer e BioNTech

O petróleo WTI para Janeiro fechou em alta de 0,86% (US$ 0,36), a USD 42,01 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o Brent para igual mês encerrou as negociações com avanço de 1,35% (USD 0,59) na Intercontinental Exchange (ICE), cotado a USD 44,34 o barril. Ao comentar a possibilidade de seguir com a produção reduzida em 2021, o ministro saudita afirmou que “a medida trouxe estabilidade ao mercado de petróleo”, em reunião virtual com membros do Comité de Monitoramento Ministerial Conjunto (JMMC, na sigla em inglês) da Opep+, de acordo com a Reuters. “Temos vontade e capacidade de continuar a trazer mais estabilidade”, completou Al Saud.

A indicação do ministro ocorre após o mercado reagir, negativamente, a uma reunião da JMMC, ontem, em que o Comité não deu sinais claros se estenderia, ou não, os cortes. A faixa actual de cortes é de 7,7 milhões de barris por dia. Al Saud não mencionou por quanto tempo durará esta nova etapa, mas o cartel estuda uma nova extensão por mais 3 ou 6 meses.

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.