“Exame PSA não substitui Toque Rectal para aferir cancro da próstata”

a afirmação é do médico Apolíneo Paxi durante uma palestra sobre prevenção do cancro da próstata, realizada sob o signo “um toque pela vida”, em alusão ao Dia Mundial da Luta Contra o Cancro da Próstata, assinalado recentemente

O médico urologista Apolíneo Paxi afirmou, durante a realização de uma palestra sobre a prevenção do cancro da próstata, ocorrida ontem, 20, em Luanda, que o exame Antígeno Prostático Especifico (PSA) não substitui o toque rectal para aferição do cancro da próstata nos homens.

O especialista explicou que os dois exames PSA e Toque Retal são utilizados para aferir as suspeitas em relação ao paciente sobre a contracção ou não da doença, mas o que garante a eficácia para confirmação, é determinado pela Biopsia, uma pequena cirurgia sem dor guiados em ecografias, em que são retirados pequenos fragmentos na próstata. “Há pacientes que podem ter um PSA normal, mas podem vir a contrair o cancro da próstata.

Portanto, um exame não substitui o outro. Os dois são elementos para aferir os níveis de suspeitas, sendo que um complementa o outro, sendo, por isso, os dois indispensáveis quanto ao diagnóstico do paciente”, reafirmou o médico. ..

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.

leave a reply

error: Conteúdo Protegido!