Editorial: Desvio de cadáveres

Editorial: Desvio de cadáveres

Nas habituais conferências de imprensa da Comissão Intersectorial de Combate à Covid-19, o normal tem sido o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufi nda, anunciar o número de infecções, as mortes, assim como outras medidas que vão sendo tomadas para a contenção da pandemia. No encontro de ontem, curiosamente, o responsável alertou para uma outra situação que tem inquietado sobremaneira a sua equipa de trabalho.

Alguns populares têm desviado os cadáveres dos seus parentes para a realização das cerimónias fúnebres como pretendem. Embora se pretenda enterrar condignamente os seus familiares, o que muitos dos cidadãos não têm em conta é a perigosidade que representa o corpo de um paciente infectado para Covid 19.

Não é em vão que as autoridades sanitárias tenham restringido o número de acesso às cerimónias fúnebres. Em Angola, algumas avaliações feitas pelo Ministério da Saúde vão evidenciando que a principal fonte de contágio tem sido estes rituais e a outras formas como pretendemos nos despedir dos entequeridos..