Carta do leitor // Mais higiene nos mercados de Luanda

Carta do leitor // Mais higiene nos mercados de Luanda

Ilustre coordenador do jornal O PAÍS, saudações e votos de uma óptima Quarta-feira… Nos últimos tempos, Angola e o mundo lutam contra uma pandemia, a Covid-19. Medidas para o combate e propagação da doença têm sido tomadas pelas autoridades.

Isto, associado a mobilização, tem ajudado a contribuir para a redução de casos em todo o país. Mas, uma coisa chamoume atenção nos últimos dias na província de Luanda, a falta de higiene nos mercados. Os mercados de Luanda, por força dos serviços locais, deviam ser mais organizados em vários domínios. É que o lixo a céu aberto e a falta de consciência de algumas vendedeiras põe em risco a vida dos clientes e não só.

Mesmo com esta medida alternada de vendas, não se faz uma limpeza condigna aos mercados de Luanda. A pergunta é: quem está a falhar? Porque a administração dos mercados tem poderes para exigir quem vende a estar num espaço limpo.

Com a Covid-19, as coisas devem ser mais controladas, porque está em causa a saúde de todos os cidadãos. Os mercados, quando são encerrados, devem ser limpos e verificados, mas não é o que se vê em Luanda. Isto levanta várias questões: uma delas é saber aonde é que vai o dinheiro que se cobra diariamente às semhoras e aos senhores que exercem tais actos de comércio?

Neste andar, sem a higiene que se pretende, até os produtos ficarão contaminados, talvez, todos deverão adoecer e só assim ganharemos consciência, por favor, mais higiene nos mercados de Luanda!

 

Rasgado Kilanda