É de hoje… Valeu a pena

De olhos na telinha e ouvidos na caixinha, o diálogo de ontem acabou mesmo por prender a atenção de parte significativa da população angolana, entre jovens, adultos e até velhos, por se tratar de uma iniciativa que iria colocar, frente-a-frente, o Presidente da República e um grupo de jovens.

O à-vontade do Presidente e a acutilância dos jovens, em termos de questionamentos e respostas, embora alguns tivessem decepcionado em termos de intervenções, demonstraram que o momento de tensão só poderia ser vencido usando o diálogo como principal instrumento.

Da política à religião, da educação ao desporto, dos problemas habitacionais aos investimentos, sem esquecer as autarquias, houve tempo para algum humor, seriedade e, sobretudo, comprometimento entre os presentes sobre o que se espera do país.

Para os que vaticinavam um monólogo, ou uma sessão em que uns apresentassem os seus argumentos e do outro lado não se esperasse qualquer reacção – ou ainda a possibilidade de rebatimento das posições assumidas- as intervenções do representante da FNLA e de Mbanza Hanza vieram demonstrar o contrário, nem que para isso se quebrasse o protocolo ou se beneficiassem mais alguns minutinhos de tempo em detrimento de outros.

Apesar das várias intervenções, os representantes dos taxistas, os cegos e ambliopes, do Movimento dos Estudantes de Angola – e o já citado ‘revu’ Mbanza Hanza-, deram uma outra dinâmica ao diálogo juvenil. Sobre o último, há a destacar o facto de ter representado um segmento em que muitos preferiram optar pela política da cadeira vazia, tendo admitido estar preparado para o ‘poder’.

Além da abertura demonstrada, houve jovens que encontraram aí soluções para os seus problemas, ao passo que os prementes, que têm merecido a chamada de atenção dos jovens, mormente as eleições autárquicas, a melhoria das condições de vida e ao aumento da empregabilidade merecerão não só a atenção do próprio Executivo, como também a participação de todos quanto participaram deste encontro.

O que se espera agora, conforme foi salientado por alguns dos presentes, é o dia seguinte. Depois do bom desempenho do homem, principalmente por não ter afastado a possibilidade de um diálogo franco e aberto com os jovens, o caminho passa pela concretização de algumas realizações e buscar dos seus interlocutores de ontem propostas para os problemas.