Carta do leitor: Marginais detidos

Carta do leitor: Marginais detidos

Bom-dia, Sr. coordenador do jornal OPAÍS! Escrevo a partir da cidade do Lubango, província da Huíla, um espaço em que, graças ao trabalho da Polícia Nacional, o crime vai-se reduzindo. Por isso, fico feliz por saber que, nos últimos dias, a Polícia Nacional deteve mais de cinco centenas de marginais em todo o país. Estes tiravam o sono de muitas famílias, e, se já estão a contas com a justiça, que se dê o melhor tratamento.

Em muitos bairros e pontos de algumas cidades do país, muitos respiram de alívio, porque a presença desses meliantes na rua só gera medo e descontentamento. Por conta disso, num contexto como o actual, é importante elogiar o trabalho da Polícia Nacional. Aliás, sem eles a sociedade não teria ordem, pois os desordeiros não gostam da actuação da Polícia Nacional.

Nesta ordem de ideias, o patrulhamento e outras acções devem merecer mais atenção dos agentes da Polícia Nacional. Ainda assim, peço que o agente tenha uma tratamento social mais aceitável, uma vez que o trabalho desempenhado por eles é de risco e obedecem a sacríficos inesperados. Mas devo dizer que estou feliz pelo trabalho feito pelos agentes da Polícia Nacional em deter os marginais nos últimos dias.

POR: Gabriel Chibenda, Lubango