Países ricos podem perder bilhões de dólares se não houver acesso global a vacinas, diz relatório

Países ricos podem perder bilhões de dólares se não houver acesso global a vacinas, diz relatório

Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) tenta garantir os fundos para seu programa ACT Accelerator para tratamentos de Covid-19, pesquisadores disseram que as suas descobertas mostraram que existe um argumento financeiro – e também moral – para se garantir um acesso igualitário. “Governos estão a se concentrar cada vez mais em investimentos que possam ajudar as suas próprias economias a reagirem”, disse Hassan Damluji, vice-director da Fundação Bill & Melinda Gates, que encomendou o relatório à empresa de pesquisas Eurasia Group. “O ACT Accelerator é precisamente um destes investimentos.

Ele é tanto a coisa certa a fazer quanto um investimento que renderá dividendos trazendo a economia global de volta do precipício, beneficiando todas as nações.” O ACT Accelerator (Aceso a Ferramentas contra a Covid-19) é um programa internacional que actua para apoiar o desenvolvimento de vacinas, tratamentos e exames de Covid-19 e fazer com que estejam disponíveis em todo o mundo.

Agora que nações se preparam para lançar programas de vacinação contra Covid-19 em massa e o Reino Unido se tornou a primeira a aprovar uma vacina para uso nesta semana, surgiu a preocupação de que um “nacionalismo da vacina” possa deixar países mais pobres para trás. A OMS diz que o programa precisa de 38 bilhões de dólares – dos quais cerca de 28 bilhões ainda faltam – e sem os quais países de renda mais baixa não conseguirão ter acesso imediato a medicamentos contra Covid-19, incluindo vacinas.

O relatório desta Quinta-feira avaliou os benefícios económicos de se garantir um acesso igualitário global e rápido a vacinas para dez grandes economias: Canadá, França, Alemanha, Japão, Qatar, Coreia do Sul, Suécia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos. O documento mostrou que os estímulos resultantes à economia global podem lhes render ao menos 153 bilhões de dólares em 202021, e 466 bilhões até 2025, em uma análise baseada nas previsões da Perspectiva Económica Mundial do Fundo Monetário Internacional (FMI) para várias circunstâncias de vacinação