Venda de activos da Sonangol rende USd 60 milhões

Venda de activos da Sonangol rende USd 60 milhões

A venda dos activos surge na sequência do programa das privatizações. Em entrevista à Reuters News, o CEO da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, avança que em 2021 a empresa vai acelerar as reformas em curso e envidar esforços para aumentar as receitas, depois da pandemia da Covid-19 ter “secado” o interesse dos investidores pela compra de activos da petrolífera. Sebastião Gaspar Martins disse que à pandemia está a atrasar a venda de activos em Angola e no estrangeiro. “Sim, tendo em conta a desaceleração económica mundial, os investidores estão mais conservadores.

A dinâmica de negócio e a forma como as pessoas se relacionavam, no ambiente de negócios, também mudaram e houve necessidade de serem feitos ajustes que levam o seu tempo”, disse. Impulsionada pelos altos preços do petróleo na última década, a Sonangol acumulou activos em todo o mundo, desde hotéis, participações em bancos e até um convento português…

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.