Programa de massificação do registo beneficia mais de um milhão de cidadãos

Programa de massificação do registo beneficia mais de um milhão de cidadãos

Um milhão e oitocentos e sessenta mil e duzentos e cinquenta e um cidadãos foram registados, de Novembro de 2019 a Novembro de 2020, no país, informou, ontem, Sextafeira, em Luanda, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz. No mesmo período, foram atribuídos bilhetes de identidade a 949.980 cidadãos, no quadro do Programa de Massificação do Registo de Nascimento e Atribuição do Bilhete de Identidade, iniciado em Novembro de 2019.

Francisco Queiroz falava na quinta reunião mensal de balanço do referido programa de massificação, realizada a partir do Ministério da Justiça e dos Direitos no sistema de tele-conferência. O governante disse que a previsão é ultrapassar, até final do corrente ano, os dois milhões de registos de nascimento e um milhão de bilhete de identidade em atribuição. Justificou a previsão com o balanço do mês de Novembro, com o registo de nascimento de 249.159 crianças e a atribuição de 89.464 bilhetes de identidade.

“Apesar dos variados constrangimentos verificados durante o ano, como a Covid-19, o Executivo está a atingir, com os seus parceiros de caminhada, resultados satisfatórios, embora nos pareça que podemos fazer mais”, referiu o ministro. O governante apontou Luanda, Malanje, Uíge, Huambo, Huíla, Bengo, Moxico e o Namibe como as províncias com maior adesão ao programa de massificação. Para si, o sucesso do programa radica nas acções de mobilização e sensibilização das populações, na interacção constante com os parceiros, no aproveitamento racional dos recursos humanos, financeiros e materiais disponíveis.