O editorial:Covid e festas

O editorial:Covid e festas

Por Luanda e arredores já se podem ver os adornos da época. vitrines e fachada de alguns edifícios engalanados surgem embora em números exíguos se comparados com o que se observava noutros tempos. Ainda assim, apesar da crise, é expectável que os angolanos consigam viver o momento segundo as próprias possibilidades. mesmo que seja sem pompa e circunstância, mas confi antes de que o ano de 2021 será melhor. o que se pede nesta fase é que todos celebrem sem perigar o mais próximo e não façam deste momento um autêntico foco de contágios por Covid 19. em várias partes do mundo, o que se tem apelado às pessoas é que evitem deslocações e grandes aglomerados, para que este período de festa seja de contenção, reduzindo os números alarmantes. em Angola, felizmente, os últimos dados vão demonstrando um certo controlo nas infecções e nas mortes causadas pela doença. mas esse desiderato só será possível se se mantiver as medidas que foram desde o primeiro momento apresentadas e sempre reiteradas pelo executivo.