PRA-JA insiste na “perseguição” política como justificação do último chumbo do TC

PRA-JA insiste na “perseguição” política como justificação do último chumbo do TC

Está prevista para amanhã uma conferência de imprensa onde o coordenador da comissão instaladora, Abel Chivukuvuku, vai apresentar os seus argumentos de razão e os próximos passos a serem dados na busca da legalização do projecto que, por via do acórdão n.º 654/2020, tornado público no dia 4 deste mês, que impede definitivamente a transformação em partido político

A comissão Instaladora do projecto político PRA-JA-Servir Angola, de Abel Chivukuvuku, considerou, ontem, como perseguição politica a decisão do Tribunal Constitucional (TC) que “chumbou” definitivamente o último recurso interposto pela organização. Na semana finda, o Tribunal negou o provimento ao recurso interposto pela comissão instaladora do PRA-JA-Servir Angola, afastando, deste modo, definitivamente, a hipótese de Abel Chivukuvuku ver reconhecido o seu projecto político como partido.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.