“Não há margem ainda para vermos um sector petrolífero em condições para liquidar as dívidas”

“Não há margem ainda para vermos um sector petrolífero em condições para liquidar as dívidas”

O economista Hernany Pena Luís refuta a ideia da possibilidade da redução do stock da dívida pública para menos de 100% até ao final de 2023, como fez saber a ministra das Finanças, durante uma vídeo-conferência “Angola: reformas estruturais para o crescimento económico”, promovida pela Universidade Católica Portuguesa

Os países membros da OPEP e os não-OPEP decidiram ajustar a produção diária de barris de petróleo, a partir de 2021, em função do comportamento do mercado internacional. Que impacto essas medidas podem ter sobre a produção angolana? Sobre a produção angolana e de outros produtores, vai depender daquilo que vai ser o desfecho deste ciclo pandémico. Felizmente, há um novo cenário a ser construído, há vacinas a chegarem dos mais diferentes cantos do mundo e, potencialmente, no primeiro trimestre do próximo ano a vacina estará disponível. Se assim se materializar, acredito que o nível de confiança do mercado petrolífero, em particular, vai ser óptimo, e terá um impacto positivo naquilo que são os níveis de produção que o país tem apresentado. Acredito que 2021 será um ano melhor, uma vez que a vacina esteja amplamente disponível para todos os países e, consequentemente, permitir a abertura das fronteiras.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.