EUA estão a entrar numa turbulência comparável a do final da uniãoSoviética, diz analista

EUA estão a entrar numa turbulência comparável a do final da uniãoSoviética, diz analista

O cientista político Konstantin Blokhin, pesquisador do Centro de Estudos de Problemas de Segurança da Academia Russa de Ciências, destacou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik a idade avançada com que o democrata Joe Biden vai assumir a presidência dos EUA, em Janeiro de 2021. “É claro que o próprio Biden, devido à sua condição, terá apenas um mandato presidencial, com Kamala Harris como Chefe de Estado principal, a quem ele convidou como vice-presidente”, argumenta Blokhin para complementar em seguida.

“Portanto, podemos dizer que os EUA estão a entrar em um período de turbulência comparável ao do final da União Soviética, quando os secretários-gerais se sucederam. Algo semelhante está a acontecer com eles agora.” O cientista político destaca também que o actual Presidente norte-americano, o republicano Donald Trump, perde oportunidades de contestar os resultados das eleições em vários Estados do país, pois muitos deles podem estar inacessíveis para acções judiciais. De acordo com a lei de 1887, o Congresso dos EUA não tem o direito de ignorar os delegados indicados por este ou aquele Estado seis ou mais dias antes da sua votação geral, que em 2020 está marcada para 14 de Dezembro. Assim, todas as outras  demandas de Trump com relação aos resultados da contagem de votos em Estados conturbados perdem o seu significado.

“A táctica e estratégia de Trump foi a seguinte: ele não reconhecerá a eleição e não parará de lutar. Trump não seria Trump se se rendesse imediatamente. Por isso, mostra ao seu eleitorado: as eleições foram falsificadas e ele continua a lutar”, afirma Blokhin. Actualmente, os processos de Trump permanecem pendentes em sete Estados que declararam Joe Biden como o vencedor: Arizona, Wisconsin, Geórgia, Minnesota, Michigan, Nevada e Pensilvânia. Nenhum dos candidatos foi ainda oficialmente declarado vencedor, mas de acordo com o resultado da recontagem, Biden tem 306 votos no colégio eleitoral. Trump ganhou 232 votos até agora. Para vencer, um candidato precisa obter 270 votos.