“Mulher Infinita”, de Lourenço Mussango, sob suspeita de plágio por escritor brasileiro // “Mulher Infinita”, de Lourenço Mussango, sob suspeita de plágio por escritor brasileiro

“Mulher Infinita”, de Lourenço Mussango, sob suspeita de plágio por escritor brasileiro // “Mulher Infinita”, de Lourenço Mussango, sob suspeita de plágio por escritor brasileiro

O livro vencedor da edição 2020 do Prémio Literário António Jacinto, intitulado “Mulher Infinita”, de autoria de Lourenço Mussango, lançado a 10 do corrente mês, está a ser acusado de plágio pelo escritor e crítico literário brasileiro, Paulo Cantarelli. Trata-se do conto “Serena”, do livro Recifense, lançado em 2019 no Recife (Brasil) que tem causado, nas redes sociais, confronto entre o escritor brasileiro e a esposa e assessora de Mussango, Cíntia Gonçalves, onde cada um tenta “puxar a brasa para a sua sardinha”.

Cantarelli descreve, no seu Blogue Pessoal, num texto cujo título é “Lourenço Mussango, Plagiador de Angola” que, enquanto tomava café, recebeu uma ligação de um velho amigo, a notícia era clara e tão inesperada quanto a ligação, segundo conta. “Foste plagiado em Angola. E o plagiador recompensado com um prémio nacional”, foi isso que ouviu na chamada. “A primeira reacção foi o riso, depois perplexidade. Não se trataria de engano, uma coincidência criativa, ou, quem sabe, mera alusão?”, questionou- se.

O escritor brasileiro depreendeu, depois de uma introspecção, que não se trata de alusão. Caso se tratasse de alusão ao seu trabalho, seria motivo de orgulho, pois, para qualquer escritor, exercer influência além dos mares, em terras tão longínquas e coloridas quanto Angola, é uma honra.

 

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.
Faça já a sua subscrição!
Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.